Saiba mais sobre chocolates

Saiba mais sobre chocolates!

Cacau - Fruto da árvore do cacau (cacaueiro). É do cacau que se faz o chocolate, através da moagem dos grãos secos, em processo industrial ou caseiro.

Chocolate - Alimento produzido a partir dos grãos torrados do cacau. Pode ser encontrado na forma pastosa, sólida ou líquida.

Chocolatier - Profissional especializado na fabricação do chocolate.

Chocolate amargo - Chocolate que contém mais de 50% de teor de cacau. Além do licor de chocolate, geralmente contém manteiga de cacau, açúcar, baunilha e também lecitina.

Chocolate ao leite - Licor de chocolate, ao qual se adiciona açúcar, baunilha e também lecitina. Chocolate ao leite de qualidade deve conter pelo menos 30% de leite.

Chocolate branco - Feito de manteiga de cacau, leite, açúcar e baunilha . Deve conter pelo menos 35% de manteiga de cacau para ser considerado de boa qualidade.

Grãos de cacau - A material prima do chocolate e do cacau. São encontrados na planta do cacau.

Manteiga de cacau - A gordura natural dentro dos grãos de cacau, essencial na produção de um bom chocolate. Um grão contém aproximadamente 50% de manteiga de cacau.

Lecitina - Produto natural derivado da soja que ajuda a controlar as propriedades do chocolate, reduzindo sua viscosidade

Teor de cacau - A quantidade de cacau que existem em cada chocolate. Em geral, quando mais alto o teor de cacau, mais intenso é o sabor do chocolate e menor a quantidade de açúcar utilizada na preparação.

O verdadeiro chocolate fino tem características que o tornam inconfundível. Aprenda a reconhecê-lo.

Aparência: Chocolates finos tem cor consistente e uma aparência naturalmente acetinada, aliadas a formatos e design diferenciado dos chocolates comuns.

Aroma: Chocolates finos tem um aroma fresco e profundo, porque não usam adoçantes artificiais.

Sabor: Chocolates finos apresentam sabor mais intenso, mas ao mesmo tempo mais refinado, além de textura incomum. O recheio é especialmente preparado para se adequar às nuances de sabor e textura.

O Armazém do Cacau orgulha-se de utilizar o verdadeiro chocolate fino em toda sua linha de produtos.

Veja a dica do chocolatier master Thierry Muret para aproveitar ainda mais a sensação de saborear um chocolate fino.

“Ao saborear um pedaço de chocolate, deixe-o derreter contra o céu da boca para sentir sua textura. Um chocolate fino é aveludado, sem a granulação que vem do refinamento incompleto. Deslize o chocolate sobre a língua, permitindo que os sabores permeiem sua boca. O sabor inicial deve ser agradável, como de chocolate torrado, complementado pela doçura e aromas de outros componentes do sabor. Por último, aprecie o gosto do chocolate que perdura em sua boca.”

Criollo A palavra significa “hispanoamericano, nativo” em espanhol e foi a primeira variedade cultivada nos territórios onde hoje estão Honduras, Costa Rica e México, pelos povos da chamada mesoamérica (Olmecs, Mayas, Toltecas e Astecas). Também cultivado na América Central e no norte da América do Sul. Suas amêndoas são grandes e de coloração clara ou rosácea, de baixa acidez e pouco sabor amargo. Foi considerada a mais nobre das variedades de cacau, mas é pouco produtiva e muito sensível a doenças. Atualmente responde por cerca de 5% da produção mundial de cacau.



Forastero É o cacau que tem origem na bacia amazônica. Tem amêndoas achatadas de cor violeta, de média acidez. Considerado um cacau produtivo e resistente a doenças. Responde atualmente por cerca de 80% da produção mundial, e é cultivado especialmente na África e no Brasil. Tem frutos amelonados, e algumas sub-espécies produzem cacau de excelente qualidade.



Trinitário É um cacau híbrido, resultado do cruzamento das duas outras variedades, reunindo as características de ambas. Foi criado em Trinidad, após 1727, quando plantações de cacau Criollo foram destruídas por ciclones e tempestades. Trinta anos depois monges capuchinhos teriam trazido e plantado mudas de Forastero, que terminaram por cruzar com remanescentes de Criollo. Tem excelente qualidade, e reponde hoje por cerca de 15% da produção mundial.